quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Os melhores livros lidos em 2010

Li e reli muitos livros esse ano, para ser especifica 73. Dentre eles me apaixonei por "Querido John", fiquei surpresa com "Wake- Despertar" e me decepcionei com "O símbolo Perdido". Aí vai a minha lista dos 10 melhores livros que li em 2010.
  1. Querido John - Nicholas Spaks
  2. As Brumas de Avalon-A Grande Rainha - Marion Zimmer Bradley
  3. O Nome do Vento - Patrick Rothfuss
  4. O Último Olimpiano - Rick Riordan
  5. O Senhor dos Anéis - J.R.R. Tolkien
  6. Fade- Desvanescer - Lisa McMan
  7. A Hospedeira - Stephenie Meyer
  8. O Assassinato de Roger Ackroyd - Agatha Cristie
  9. O Céu está Caindo- Sidney Sheldon
  10. Sorte ou Azar - Meg Cabot 
Aconselho todos a lerem esse livros, pois são espetaculares.

    terça-feira, 28 de dezembro de 2010

    Uma Carta de Amor


    Mais um livro doce, romântico e trágico, coisa típica de Nicholas Sparks. Segundo livro escrito pelo autor, "Uma Carta de Amor" traz a história de Theresa Osborne, uma jornalista divorciada, com um filho e sem esperanças com o amor. Ela encontra na praia uma garrafa , com uma carta destinada à "Minha querida Catherine". Encantada com tanto amor, ela vai em busca Garrett Blake, o autor da carta, e dentro de pouco tempo os dois se apaixonam. Porém Theresa terá que competir com a sombra de Catherine e contra a distancia que separa os dois, o que não será tão fácil.

    Fácil de ser lido, pequeno e romântico, o livro é isso, não tenho muita coisa para falar dele. Foi o primeiro livro de Spaks adaptado para o cinema, em 1999. Tenho certeza que o vi, mas tinha uns 10 anos e não me lembro de nada. No mais é só isso, ele não é um "Querido John", mas é legalzinho.

    sábado, 25 de dezembro de 2010

    A menina que não sabia ler

    "Nem tudo é o que parece ser"

    "A menina que não sabia ler" é um livro incrível, e que mostra o poder da imaginação. Florence tem 12 anos e vive na casa de seu tio com seu irmão Giles, tio esse que ela nunca viu pessoalmente. Proibida de ler, mas apaixonada por livros, Florence se alfabetiza sozinha e faz visitas frequentes a biblioteca da casa, mas sempre as escondidas. Porém, toda a tranquilidade de sua vida muda com a chegada de a nova preceptora que poderá tirar seu irmão dela.

    O livro é intenso, começa simples mas ao decorrer coisas vão acontecendo e não se sabe mais o que é verdade ou o que é imaginação. Não vou entrar muito em detalhes senão toda a história perde a graça, mas o livro chega a dar arrepios. O autor deixa muita coisa no ar, mas ao mesmo tempo deixa tudo explicado( lendo para entender) e para mim algumas coisas podem sair da imaginação do leitor. Pessoalmente gostei muito do livro, e o recomendo a todos.

    quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

    Uma pequena dica

    Trouxe uma dica hoje. Tenho uma amiga, Esther, que está escrevendo um livro bastante interessante, chama-se "O Protetor". Creio que todos nos vamos gostar, já que fantasia e mágica é a nossa área. Se quiserem dar uma olhada cliquem aqui. Vocês vão gostar

    Até mais

    segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

    Filme: As Crônicas de Nárnia - A Viagem do Peregrino da Alvorada

    Fui ver "As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada" nos cinema e me deu vontade de bater em todos aqueles críticos brasileiros que acabaram com filme, dizendo que ele era sem história(só se for no cinema deles), infantil (amigo, Nárnia é infantil), ou mesmo que Will Poulter fez uma péssima atuação interpretando Eustáquio. É claro que o filme tem vários defeitos, é que a fumacinha verde é esquisita, mas nada que não me faça falar que o filme foi ruim.

    Tinha ido preparada para um filme chato e parado, mas o que vi foi um filme bem agitado e com varias diferenças do livro, porém mantendo a linha da busca pelos fidalgos perdidos. Para quem não sabe a história do livro é a seguinte: Caspian, Lúcia, Edmundo e Eustáquio, saem em busca dos 7 fidalgos que seu tio Miraz despachou de Nárnia a bordo do Peregrino da Alvorada, os três últimos foram para Nárnia através de um quadro. Só que no filme eles tem que descobrir de onde vem uma fumacinha verde que some com as pessoas, que não esta presente no livro( pelo menos que eu me lembre), e saem em busca da estrela azul(está esta presente). Além disso,o tema da beleza da Lúcia foi bem evidenciado.

    Não sou critica de cinema, mas se fosse daria nota 8 para o filme, ainda mais com Ben Barnes como Caspian(um colírio para os olhos). Como a Disney largou Nárnia, o filme foi produzido pela Walden Media em parceria com a 20th Century Fox. Pra mim superou O Príncipe Cáspian, mas não o primeiro filme. Outra coisa, eu assistir ao filme em 3D e acho que vai deve ter pouca diferença do normal, por isso acho que pode assistir normal mesmo.

    Vou por as críticas aqui, leiam e depois de ver o filme dêem suas opiniões:


    Aventura em família
    FANTASIA DESINTERESSANTE
    Ainda Mais Infantil


    quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

    Nicholas Sparks e seus livros

    Para quem já deu uma olhada aí no blog, mais especificamente nos livros mais vendidos da Veja, percebeu que dentre os 10 mais vendidos, 4 são de Nicolas Sparks. Sim, ele escreve romance pra caramba... "Querido John", "A Última Música", "O Milagre" e "Diário de uma paixão" são eles. Os dois primeiros tiveram lançamento esse ano e já foram comentados no blog, o terceiro foi lançado em 2006, mas a segunda edição chegou agora, e o último é de 1999.

    Sinopse
    "A história começa no início de outubro de 1946 quando dois jovens, Noah Calhoun e Allison Nelson, se conhecem e se apaixonam perdidamente. Tudo parece perfeito, quando a família de Allie a impede de continuar a vê-lo devido a enorme diferença de classe social entre os jovens. Allie e Noah, lutam para levar uma vida normal, mesmo estando distantes. Até que um artigo de jornal muda tudo e reacende um amor há 14 anos adormecido."

    Sinopse

    "O novo romance de Nicholas Sparks traz a história de Jeremy Marsh, um respeitado jornalista que não consegue emplacar um relacionamento afetivo que o faça feliz. Acostumado a viajar pelo mundo à cata de lendas urbanas, Jeremy parte em direção a uma cidadezinha do sul dos Estados Unidos para investigar as misteriosas luzes de um antigo cemitério escravo que teria sido alvo de uma maldição. Lá ele conhece a bela Lexie Damell, que irá ajudá- lo em sua fantasmagórica missão. Prestes a descobrir um segredo que poderá abalar os alicerces da comunidade, esse implacável destruidor de mitos terá de se confrontar com o único fenômeno que considera genuinamente misterioso e sobrenatural: uma paixão avassaladora."

    domingo, 12 de dezembro de 2010

    Fora de Mim


    "Fora de mim", escrito por Martha Medeiros, foi diferente de tudo que eu já tinha lido. Escrito em primeira pessoa, sem diálogo, apenas na narrativa, uma mulher descreve o relacionamento conturbado com um homem e a sua separação. Dividido em três capítulos, no primeiro ela descreve sua situação emocional após o rompimento, no segundo ela fala como a paixão chegou e o porque da separação, no terceiro ela retoma sua vida depois do baque.

    Não digo que o livro foi um máximo, porque não foi, foi legalzinho. Muito pequeno,136 páginas em letras enormes, li em uma noite. Mas também não foi perda de tempo, dá para tirar muita coisa de lição do livro, ainda mais para aquelas que sofrem de amor(o que não é o meu caso), além da escrita proseada ser novidade para mim. Já tinha vistos livros assim, mas nunca tive a coragem para le-los. Outra coisa que não posso deixar de falar é da capa e da contracapa . São maravilhosas! A capa é essa aí do lado. A contracapa é verde limão, bem chamativa.

    Assim, deixo a sinopse direitinho aí em baixo. Para quem gostou, o livro está R$ 9,90 no submarino.


    Sinopse


    Martha Medeiros inicia sua narrativa visceral no instante da despedida, da queda, do fim trágico, nem além nem aquém da dor maior: quando se tem a certeza de que não há mais volta. Aos poucos, o leitor vai compreendendo como tudo aconteceu, como tudo afinal foi ficando fora de controle.


    Recém-separada de um casamento longo e pacífico, a protagonista se apaixona loucamente, embora não cegamente, por um outro homem, de personalidade conturbada, com quem vive uma intensa paixão. Consciente do mergulho, a mulher pressente que no fundo daquela relação só acabaria encontrando a escuridão da dor. Mesmo assim, dá o salto. E perde. A entrega aqui é um vício sem saída.

    Informações adicionais

    TÍTULO: FORA DE MIM
    IDIOMA: Português.
    ENCADERNAÇÃO: Brochura | Formato: 14 x 21 | 136 págs.
    ANO EDIÇÃO: 2010
    EDIÇÃO:
    AUTOR: Martha Medeiros

    sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

    Coração de Tinta

    Porque um livro lido pela segunda vez sempre parece mais interessante do que quando lemos na primeira? Pelo menos foi o que aconteceu comigo e "Coração de Tinta". Li a uns 2 anos atrás, achei legal mas não causou o mesmo efeito. Sabendo que em breve terei a continuação "Sangue de Tinta" em minhas mãos, resolvi reler o livro e me envolver novamente, agora com mais entusiasmo, com Meggie e Mo.

    Para quem não conhece a historia, aí vai: Mo tem a incrível habilidade de retirar criaturas de livros, tudo o que ele lê se torna real. Porém sempre algo desse mundo troca de lugar com as criaturas lidas e entra no livro. Quando Meggie, filha de Mo tinha 3 anos, ele leu"Coração de Tinta", o vilão do livro "Capricórnio" apareceu e a mulher de Mo sumiu. Agora, 9 anos mais tarde, o personagem volta para conseguir que "língua encantada" retire um amigo nada amigável do livro.

    O livro faz parte da Trilogia "Mundo de Tinta" e é escrito por Cornelia Funke. Grosso, envolvente e bem escrito. Eu, particularmente adoro Farid e Dedo Empoeirado, mesmo o último sendo traidor e covarde. Se você quiser saber o porque leia o livro ou tenha uma ideia com o filme, que não é fiel mas pelo menos vai no caminho.

    sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

    Uma nova forma de se escrever: "Todo garoto tem" e o" Garoto da casa ao lado"

    " Todo garoto tem" e "O garoto da casa ao lado " , de Meg Cabot são dois livros extremamentes divertidos. Escritos em forma de email, os livros são extemamentes inteligentes, românticos e atrativos...

    "Todo garoto tem" conta a historia de Jane, uma cartunista que será madrinha de uma casamento às escondidas na Itália. O padrinho do noivo é Cal, um jornalista que passou os últimos anos no campo de guerra, não acredita no amor e nunca leu sua tirinha no jornal. Os dois vão se odiar a primeira vista, porém além de salvar o casamento dos amigos, poderão se apaixonar perdidamente...

    Já em "O garoto da casa ao lado", temos Melissa Fuller ou simplesmente Mel, outra jornalista. Quase sendo demitida do trabalho por causa de atrasos, uma nova preocupação vem a tona na sua vida: Sua vizinha levou um golpe na cabeça num atentado misterioso. Um novo vizinho aparece: Jhon. Só que este está apenas fazendo um favor para um amigo, e não imaginava a mulher que seria sua nova vizinha.

    Dentre os dois livros, O garoto da casa ao lado me chamou mais atenção. Tem um tom de mistério, e é bastante cliché. Mel é a típica mocinha e Jhon o típico gala que a engana sem querer e depois pede perdão.

    Os dois livros estão na Série Boy, de Meg Cabot. O terceiro é "Garoto encontra Garota" que ainda não tive a oportunidade de ler, também é no estilo de email. Meg Cabot mostra com esses livros a imensidão da literatura, que pode ser feita de diversos estilos, para todos os gostos.

    terça-feira, 30 de novembro de 2010

    Um livro interessante...

    Acabei de encomendar um livro: A menina que não sabia ler, de John Harding. O livro me pareceu interessante, chamou a atenção a primeira vez que vi. Assim que ler um livro, faço um comentário.

    SINOPSE


    Título Nacional: A Menina que Não Sabia Ler
    Ano de Lançamento:
    2010
    Número de Páginas:
    288 páginas
    Editora:
    Leya
    Tradutor:
    Elvira Serapicos

    Título Original: Florence and Giles
    Ano de Lançamento:
    2010
    Número de Páginas:
    272 páginas
    Editora:
    Blue Door

    Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante.

    Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em segredo. Mas existem mistérios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Quem eram seus pais? Por que Florence sonha sempre com uma misteriosa mulher ameaçando Giles, seu irmão caçula? O que esconde a Srta. Taylor? E por que o tio a proibiu de ler?

    Florence precisa reunir todas as pistas possíveis e encontrar respostas que ajudem a defender seu irmão e preservar sua paixão secreta pelos livros – únicos companheiros e confidentes – antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas do mundo literário. Ou será que tudo isso não seria somente delírios de uma jovem com muita imaginação?

    domingo, 21 de novembro de 2010

    O Simbolo Perdido





    "O Símbolo Perdido é denso, exótico, cheio de códigos e pistas, imagens impressionantes e a dinâmica incessante que torna impossível deixá-lo de lado. Esplêndido. Outra história arrebatadora de Robert Langdon." - The New York Times
    Sinopse:
    O Prodigioso talento de Dan Brown para contar histórias, repleto de códigos e intrigas. Tece cinco anos de pesquisas sobre a história passada na capital dos Estados Unidos num período de apenas doze horas.
    Depois de sobreviver a uma explosão no Vaticano e a uma caçada humana em Paris, Robert Langdon está de volta com seus profundos conhecimentos de simbologia e sua brilhante habilidade para solucionar problemas.
    Em O Símbolo Perdido, o célebre professor de Harvard é convidado às pressas por seu amigo e mentor Peter Solomon - eminente maçom e filantropo - a dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Ao chegar, descobre que caiu numa armadilha. Não existe nenhuma palestra, Solomon está desaparecido e, ao que tudo indica, correndo grande perigo.
    Mal´akh, o sequestrador, acredita que os fundadores de Washington, a maioria deles mestres maçons, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse e, está convencido de que Langdon é a única pessoa que pode localizá-lo.
    Sendo essa a única chance de salvar Solomon, o simbologista se lança numa corrida alucinada pelos principais pontos da capital americana: o Capitólio, a Biblioteca do Congresso, a Catedral Nacional e o Centro de Apoio dos Museus Smithsonian.


    Dos livros de Dan Brown,"O simbolo perdido" foi o que menos gostei. Primeiramente ele é muito longo, e demora muito para chegar ao ponto crucial. Depois, certos mistérios do livro estão na cara, e não sei se era para estar ou não. Sinceramente, eu não gostei do livro. Esperava mais dele. Claro que alguns pontos foram interessantes, saber mais sobre a ciência noética e a maçonaria foi um deles.

    Mas, como a minha opinião vai contra a de milhões de leitores por aí, aconselho você a ler o livro e depois me dizer o que achou. Espero encontrar alguém que concorde comigo.

    sexta-feira, 12 de novembro de 2010

    Querido John


    John conheceu Savannah enquanto estava de licença do exército. Duas semanas foi o tempo que teve com ela e descobriu a mulher de sua vida. Mas será que esse amor pode sobreviver a distância, a guerra, mas especificamente ao 11 de setembro?

    Ah, "Querido John". Um livro româtico, água com açúcar, daqueles que faz chorar muito. Intenso, lindo, simples. Este livro me conquistou. É claro que falo bem de quase todos os livros que leio, se você reparou, mas este foi especial. A mensagem trazida por ele só é entendida quando se lê. É um amor puro, inocente.

    John é maravilhoso. Ele narra a história e faz com você que sinta tudo: seu amor por Savannah, seus medos pelo pai, sua lealdade a pátria. Chorei praticamente o final todo, mesmo sabendo a inexistência dos personagens e da história em si e o alto grau de sentimentalisto da minha parte. Mas fazer o quê? John entrou na minha vida e vai ser difícil esquecê-lo, ainda mais vendo ele todo dia na minha estante.

    Para aqueles que gostam de livros românticos e melosos, é um prato cheio. Já os que não gostam, nem olhem para esse livro pois talvez a sua leitura faça você mudar de idéia. Agora, só para finalizar esta resenha, eu te pergunto: "Qual o verdadeiro significado do amor?" Leia o livro, pense e depois me responda.

    domingo, 7 de novembro de 2010

    Mitologia Grega

    Mitologia sempre me chamou atenção, principalmente a grega. As criatividade deles é tão fascinante, com histórias variadas, uma encaixando com a outra sem erro algum. Por isso comecei a ler a série "Percy Jackson e os olimpianos" e também um outro livro chamado "As 100 melhores historias da mitologia" escrita por A.S. Franchini e Carmen Seganfredo. Queria compartilhar com alguém a minha fascinação, então ai vai os 12 principais deuses do olimpo:

    Zeus: Dentro da mitologia grega é o deus mais importante. Os gregos criam que seus deuses estavam separados em diversos grupos. Os mais poderosos eram os deuses do Olimpo, que se dividiam em várias classes. A classe superior era formada por Zeus, o governante de todos os deuses. Segundo a mitologia, ele teria nascido da União de Réia e Cronos. Seu pai Cronos (deus do tempo), que imperava naquele momento, tinha o costume de engolir seus filhos com medo de que um deles lhe tirasse o trono.No entanto, quando Zeus nasceu, Réia pressentiu que ele era uma criatura especial e o escondeu em uma caverna. Para enganar seu marido ela entregou a ele uma pedra enrolada em panos para que ele engolisse no lugar de seu filho. Depois de adulto, Zeus enfrentou seu pai e o forçou a vomitar todos os seus irmãos, que continuavam vivos. Em seguida ele aprisionou Cronos sob a terra. Daquele momento em diante, Zeus se tornou o grande deus de todos os deuses e foi morar no monte Olimpo. Ele se casou com sua irmã Hera, mas teve vários amores com outras deusas e com mortais, teve vários filhos.


    Hera: Hera foi a irmã-esposa de Zeus e deusa grega, também conhecida como Juno na mitologia romana. Era ciumenta e agressiva, já que Zeus desonrava o casamento que Hera considerava sagrado. Atentava contra as amantes de Zeus e seus filhos poupando apenas Maia e seu filho Hermes que Hera gostava por achá-lo inteligente. Seu templo construído em Olímpia era mais antigo do que o de Zeus e nele continha imagens de Zeus como guerreiro ao lado do trono de Hera, mostrando que a deusa escolhera Zeus para ser seu deus e não o contrário. Era filha dos Titãs Cronos e Réia e protegia o casamento e as mulheres casadas. Tinha Afrodite como sua maior inimiga e queria sempre ser mais bonita que ela. Teve apenas um filho com Zeus chamado Ares, o deus da guerra, pois Zeus concebeu Atenas mostrando que não precisava de Hera nem para conceber.

    Poseidon: Ao lado de Zeus e Hades, Poseidon governava o universo. Seus domínios eram sobre os mares e oceanos principalmente, além de controlar os terremotos. Poseidon aparece algumas vezes como irmão mais novo de Zeus e em outras ocasiões como mais velho. Na verdade, Zeus teria obrigado seu pai Cronos a regurgitar e devolver a vida a seus filhos que sempre engolia, assim, Zeus seria o filho mais novo. Porém mais tarde Zeus vai se estabelecendo no folclore helênico como o filho mais velho. Atena:A deusa da sabedoria, da paz e da guerra. Era a filha preferida de Zeus. Segundo a mitologia, Zeus pediu para que Hefestos abrisse sua cabeça com um machado, e retirasse de dentro da sua cabeça a deusa Atena. Atena obteve diversas vitórias sobre Ares (deus da guerra), além de vencer Posseidon na competição para a posse da cidade de Atenas.

    Atena: A deusa da sabedoria, da paz e da guerra. Era a filha preferida de Zeus. Segundo a mitologia, Zeus pediu para que Hefestos abrisse sua cabeça com um machado, e retirasse de dentro da sua cabeça a deusa Atena. Junto com Zeus, ela dividia o poder dos relâmpagos e das tempestades. Atena obteve diversas vitórias sobre Ares (deus da guerra), além de vencer Posseidon na competição para a posse da cidade de Atenas.

    Ares: O deus grego da guerra, era filho de Zeus e de Hera. Ele simbolizava a agressividade inerente ao espírito guerreiro. Um dos amantes de Afrodite, a deusa da beleza e do amor. Era muito venerado, emespecial, em regiões como a Trácia, onde as pessoas eram particularmente ferozes. Ele era obcecado pela guerra,batalhas, brigas, etc., e governante terrível da cidade de Esparta. Ares é o único deus que se fere com gravidade, é aprisionado e chega mesmo a estar perto da morte.

    Deméter: Também conhecida como Ceres na mitologia romana, era filha dos Titãs Cronos e Réia e deusa da agricultura. Teve vários amantes dos quais teve filhos: Pluto, deus da abundância filho de Lasão; Arion, cavalo mágico e veloz filho de Poseidon; Perséfone filha de Zeus.Perséfone raptada foi para o reino subterrâneo de Hades que a desposou. Deméter, sua mãe, saiu de Olimpo para procurá-la e excomungou a terra por abrir passagem para Hades. Enquanto Deméter esteve fora de Olimpo, a terra tornou-se estéril, os animais morreram, o arado quebrou e os grãos não germinaram. Diante de tudo isso, Zeus pediu a Hades que devolvesse Perséfone e este concordou, porém, deu a ela um fruto da região que faria com que ela voltasse sempre para o inferno, pois quem comesse qualquer alimento nessa região, ficava obrigado a retornar. Apolo:É o deus grego da beleza, da juventude e da luz. Filho de Leto e de Zeus, Apolo é associado ao sol e ao pastoreio. É descrito como um jovem alto e bonito, além de simbolizar a ordem, a medida e a inteligência, ele também é considerado patrono das artes. Segundo a lenda, embora Apolo não fosse considerado bom esportista, era um arqueiro de grande habilidades. Suas flechas podiam causar doenças e morte súbita aos homens.

    Apolo: É o deus grego da beleza, da juventude e da luz. Filho de Leto e de Zeus, Apolo é associado ao sol e ao pastoreio. É descrito como um jovem alto e bonito, além de simbolizar a ordem, a medida e a inteligência, ele também é considerado patrono das artes. Segundo a lenda, embora Apolo não fosse considerado bom esportista, era um arqueiro de grande habilidade. Suas flechas podiam causar doenças e morte súbita aos homens.

    Ártemis: A deusa grega da floresta e da caça, filha de Zeus e irmã gêmea de Apolo. Ela era amada em especial pelas Ninfas, com as quais dançava freqüentemente nas florestas. Ártemis era apaixonada por Orion, filho de Posseidon, pois ele também era um caçador como ela. Porém Apolo não simpatizava com ele e muito lhe desagradava à afeição da irmã pelo jovem. Deste modo, certa vez que Orion estava mergulhado na água e somente sua cabeça aparecia, Apolo, mostrou aquele objeto escuro para Ártemis, desafiou-a em acertá-lo. Sem imaginar que se tratava da cabeça de seu amado, ela acertou-a com sua flecha. Momentos depois, as ondas trouxeram o corpo de Orion até a praia e Ártemis, em sua dor, não queria que seu amado desaparecesse para sempre, então resolveu colocá-lo entre as estrelas do céu, onde ele aparece como um gigante com cinto e espada.

    Hefesto: O deus do fogo e das erupções vulcânicas. Ele era aleijado e por causa da sua deficiência e feiúra foi rejeitado por sua mãe, Hera, e expulso do Olimpo. Por essa razão, o deus tornou-se a representação da fúria dos vulcões e do poder de devastação do fogo, no entanto ele também tinha a magia da transformação do metal em obra de arte.Por muito tempo, Hefestos arquitetou sua vingança contra a sua mãe, que o expulsara do Olimpo. Forjou, então, um belíssimo trono de ouro e o enviou a sua mãe. Quando sentou-se, Hera ficou presa de tal forma, que nenhum dos deuses, nem mesmo Zeus pôde tirá-la da armadilha.Não restando outra opção aos deuses do Olimpo, ao senão de acatar suas exigências a primeira era de a voltar a viver no Olimpo e a segunda era a de se casar com a deusa mais linda de todas, Afrodite. Obrigada à deusa se casou com o Hefestos, mas não era fiel a ele, teve cinco de seus seis amantes.

    Afrodite:A Deusa grega da beleza, da paixão sexual, do amor, da fecundidade e do casamento. Na mitologia romana, é conhecida como Vênus.Há duas versões para sua origem, a mais conhecida é a de que Cronos (deus do tempo) a pedido de sua mãe cortou e jogou no mar o órgão sexual de seu pai, Urano (deus do firmamento). Afrodite nasceu da espuma que se formou na água. O segredo de Afrodite era um cinturão mágico com grande poder de sedução.

    Hermes: O deus grego do vento, da velocidade e do comércio. Filho de Zeus e da ninfa Maia, nasceu em uma gruta do monte Ciline, na Arcádia. Assim que nasceu fugiu do berço e roubou cinqüenta novilhas do rebanho de Apolo, logo depois, com a casca de uma tartaruga, construiu a primeira lira e com o som deste instrumento serenou Apolo. Enfurecido pelo furto; esse deus acabou por deixar-lhe as novilhas e lhe deu o caduceu, a vara de ouro, símbolo da paz, em troca da lira.

    Dionisio: O deus grego do vinho, das festas, do prazer e do delírio místico. Filho da princesa Sêmele e de Zeus, foi o único deus filho de uma mortal. De todas as divindades, era a que mais aproximava dos homens. Sua mãe morreu antes que tivesse o necessário desenvolvimento, Dioniso passou parte de sua gestação na coxa de seu pai, Zeus. Desde muito cedo demonstrou sua origem divina: amante da caça possuía um estranho poder de amansar os animais mais ferozes. Contraiu matrimônio com Ariadne, após esta ser abandonada por Teseu.

    Fonte:http:
    //www.brasilescola.com/mitologia

    Existem muito mais deuses, é lógico. É Deus para tudo e para todos e como não tem condição de escrever tudo , procurem mais em: http/www.brasilescola.com/mitologia. Por hoje é só.

    sexta-feira, 5 de novembro de 2010

    Fade - Desvanecer


    Fade foi uma surpresa. Claro que Wake foi bom, mas este foi muito melhor. Lendo alguns comentários de leitores, vi que o primeiro livro decepcionou a maioria, porém a sua sequência conseguiu recuperar o prestigio da trilogia.

    O livro começa com Janie e Cabel juntos, não publicamente.Eles estão em uma nova missão: Descobrir qual dos seus professores é um possivel estrupador. Janie também vai descobrir o que está por trás de sua "habilidade", o que a assustará e poderá afasta- lá de quem mas ama.

    Fade, coimo já disse, é muito bom. Leitura rapida e gostosa, sem enrolação, igual ao wake. Torço para que Gone seja lançado no Brasil o mais rápido possivel, poiis o futuro de Janie me intrigae não sei o que esperar. O último livro pode ser pessimo, mas também pode ser fenomenal. Tudo depende de Lisa Mcmann, e espero que ela não nos decepcione.

    sexta-feira, 29 de outubro de 2010

    Wake- Despertar

    Janie têm 17 anos e esconde um segredo: consegue entrar nos sonhos daqueles que dormem perto dela. Porém ela não sabe controlar esse "poder" e muitas vezes se vê presa nos maiores pesadelos e nos segredos mais íntimos das pessoas. Isso a prejudica, até Cabel entrar em sua vida e tentar ajuda-lá a manipular os sonhos.

    Wake- Despertar, escrito por Lisa McMann, é diferente. Nunca havia lido uma história deste tipo, e atualmente encontrar um livro que não tenha nada a ver com outro já escrito é coisa rara. Ele é dividido em datas e horas, o que as vezes confunde mas nada complexo, é só prestar atenção. Rápido, esta sempre acontecendo algo, o que é fundamental para um livro, ao meu ver. Agora, falando da relação entre Cabel e Janie. É um ponto crucial para o desenrolar da trama, pois a necessidade de saber os verdadeiros sentimentos dele, e o seu segredo, faz a história ficar cada vez mais envolvente.

    Wake faz parte de uma trilogia, e é seguido por Fade e Gone. O último ainda não têm previsão de ser lançada no Brasil. Assim, recomendo Wake, é um livro interessante.

    sexta-feira, 22 de outubro de 2010

    A Última Música


    Sinopse: Mais uma vez Nicholas Sparks nos mostra porque é considerado o mestre do romance moderno e porque seus livros são adorados por leitores de todo o mundo. Seguindo a tradição de seus mais belos romances, ele agora nos apresenta uma comovente história sobre família, amizade, amor, amadurecimento e especialmente sobre como perdoar e recomeçar. Aos dezessete anos, Verônica Miller, ou simplesmente Ronnie, vê sua vida virar de cabeça para baixo, quando seus pais se divorciam e seu pai decide ir para a praia de Wrightsville, na Carolina do Norte. Três anos depois, ela continua magoada e distante dos pais, particularmente do pai. Entretanto, sua mãe decide que seria melhor os filhos passarem as férias de verão com o pai na Carolina do Norte. O pai de Ronnie, ex-pianista, vive tranquilamente na cidade costeira, absorto na criação de uma obra de arte que será a peça central da igreja local. Ressentida e revoltada, Ronnie rejeita toda e qualquer tentativa de aproximação do pai e ameaça voltar para Nova York antes do verão acabar. É quando Ronnie conhece Will, o garoto mais popular da cidade, e conforme vai baixando a guarda, começa a apaixonar-se profundamente por ele, abrindo- se para uma nova experiência que lhe proporcionará uma imensa felicidade - e dor - jamais sentida. Uma história inesquecível de amor, carinho e compreensão - o primeiro amor, o amadurecimento, a relação entre pais e filhos, o recomeço e o perdão - A ÚLTIMA MÚSICA demonstra, como só Nicholas Sparks consegue, as várias maneiras que o amor é capaz de partir e curar seu coração.

    Olhando a capa do livro, lendo a sinopse, ouvindo comentários, tive uma conclusão "É apenas mais um livro de romance adolescente". Estava enganada. "A última música" é muito mais que uma história, podemos dizer que é uma lição de vida.

    Narrado em terceira pessoa, cada capitulo é a pespectiva de um personagem, um jeito diferente de contar a história. Ronnie, uma garota de 17 anos rebelde, muda durante o livro, amadurece e começa a ver a realidade da vida, Will amadurece junto com ela. O pai de Roonie, Steve, tenta se aproximar dos filhos, enquanto toca seu piano. Um livro que fala de familia, perdão, tempo e principalmente amor. Não importa por quem: pode ser pelos pais, pelo namorado ou até por tartarugas marinhas. Leia o livro e depois me fale se não é lindo. Toca o coração. Simplesmente expetacular
    .

    domingo, 17 de outubro de 2010

    Helena


    Helena: bonita, delicada, forte, esperta, sensível, emotiva, romântica, inteligente, dócil...  Digamos que Machado de Assis escreveu a mulher perfeita! Como um texto romântico de 1876 "Helena" traz uma mulher notável por fora, mas com muitas dúvidas e sombras em seu interior.

    A história se passa no Rio de Janeiro. Após a morte do Conselheiro Vale e a abertura de seu testamento, descobre-se uma filha bastarda, Helena, uma jovem de 17 anos que deve ser instalada na família do falecido. Assim D. Úrsula, irmã do conselheiro, e Estácio, filho, recebem a menina e pouco a pouco vão se afeiçoando a ela. Logo Estácio e Helena se apaixonam. Mas como vão viver juntos se eles são irmãos?

    Helena é um daqueles livros que todos deveriam ler um dia. Não têm nada de magia, nem muita aventura, mas sim muito drama, choro e tragédias. Porém ensina um pouco de nossa literatura e dos conceitos de uma época em que a sociedade impunha sua vontade sobre todos.

    Por isso aconselho: leia o livro, pois o que escrevi é apenas uma pequena parte . O interessante ainda está guardado.

    sábado, 9 de outubro de 2010

    Doidas e Santas


    Martha Medeiros me impressionou. Nunca havia lido nada que tinha escrito e me surpreendi com suas crônicas tocantes e verdadeiras. Ao terminar cada crônica, você fica mais empolgado para ler a próxima. Elas são realistas, diretas e cheias de sentimento. Gostei de todas , mas aí vai uma das que mais me impressionou:

    Os Honestos

    Eles não são muitos, mas nada impede que apareçam na sua vida de repente e coloquem tudo a perder. Eu sei que você se protege, que seus advogados estão bem instruídos, que o pessoal do Recursos Humanos sente o cheiro dessa gente de longe, mas descuidos acontecem, e a qualquer hora do dia ou da noite você pode ter a infelicidade de topar com um deles na sua empresa com crachá e tudo, infiltrado dentro desse império que você construiu com tanto esforço e dedicação, e será o seu fim. Ele vai jogar seu nome na lama. Ele, o honesto.

    O honesto não dá pinta de que é honesto, parece um sujeito comum, que você até apresentaria para sua filha. Você jura que ele ganha seu sustento como todo mundo, fazendo uma maracutaiazinha aqui, uma sonegaçãozinha ali, tudo nos conformes. Mas, não, ele não é como todo mundo. Ele teve uma infância diferente. Teve pais que lhe deram valores e princípios. É um produto do seu meio, não tem culpa. De certa forma, a sociedade é responsável por ele. Ele é um excluído que só quer encontrar uma forma de sobrevivência, de ser alguém na vida. Escolheu este, o caminho da honestidade.

    Veja o que aconteceu nos Estados Unidos esta semana. Um funcionário de uma empresa de TV a cabo se recusou a mentir para os clientes. A companhia sempre treinou seus técnicos para ligarem o equipamento de TV à linha telefônica dos assinantes com o objetivo de lucrar mais. Um troço corriqueiro. Os técnicos diziam que era um procedimento de praxe, que se o equipamento não fosse ligado à linha ele não funcionaria direito - uma mentirinha inocente -, então os clientes topavam e a empresa forrava o bolso de dinheiro com o pagamento das taxas de conexão. Estava tudo correndo bem, até que surgiu esse funcionário que resolveu avisar os clientes de que não era preciso fazer a conexão. Pronto. Por causa de uma única célula ruim, a empresa está correndo o risco de perder milhões, sem falar na desmoralização pública. O sujeito foi demitido, claro.

    Assim como ele, há outros honestos atrapalhando o desenvolvimento da sociedade. São aqueles que se negam a receber uma propinazinha para agilizar uma negociação, que denunciam pequenas armações, que não superfaturam notas, que insistem em dizer sempre a verdade e que dão o péssimo exemplo de devolver o que não é deles, menosprezando a própria sorte.

    São médicos que não prescrevem remédios à toa, mesmo que o paciente ache que está doente (se ele acha, o que custa incentivá-lo a consumir uns comprimidinhos e alavancar a indústria farmacêutica?). São comerciantes que não vendem produtos com o prazo de validade vencido, servidores que não vendem carteiras de habilitação para quem não fez teste de direção, donos de bar que não vendem bebida alcoólica para menores, todos puxando o freio de mão da nossa economia. Sem falar nos que jamais desviam dinheiro - e assim não distribuem renda.

    Não dá pra acobertar essa gente. Tem mesmo que colocar na primeira página do jornal.


    Doidas e Santas, pg.67 Martha Medeiros

    sexta-feira, 8 de outubro de 2010

    O livro dos três



    "O livro dos três" é uma obra bem elaborada, rápida e precisa, por assim dizer. É o primeiro volume da coleção "As aventuras de Prydain", composto de 5 livro.

    Escrito por Lloyd Alexander publicado em 1864, o livro conta a história de Taran, um jovem porqueiro- assistente que sonha em virar um herói e junto com príncipe Gwydion, Eilonwy, a princesa órfã e tagarela, do bardo Flewdddur Fflam, e do atrapalhado Gurgi tentará salvar Prydain da ira de Rei Cornudo, paladino de Arawn, o Senhor das Trevas.

    O livro têm seu enredo parecido com várias outras obras épicas como "Eragon" e até mesmo "O Senhor dos Anéis", por ter um vilão que o nome não pode ser pronunciado, segredos históricos, etc. Porém ele não descreve tanto, e cada fato passa rapidamente, o que faz você se perder um pouco na história e acha-lá meio infantil. Como disse a crítica o livro é "simples e direto"
    , eu diria até demais.



    sábado, 2 de outubro de 2010

    Harry Potter: O fascínio de gerações


    A série Harry Potter , composto de 7 livros além de "O Contos de Beedle , o bardo, é uma das sagas mais lidas do mundo. Quem nunca ouviu falar de um bruxo que estuda em Hogwarts, tem 2 grandes amigos e uma cicatriz na testa levanta a mão.

    Mas qual o segredo destes livros? Porque milhões de adolescentes, jovens e adultos gostam desta história nada convencional, meio sinistra e totalmente fantasiosa? Não sei responder. Talvez nós queremos viver em um mundo assim, não convencional, sinistro e fantasioso, um mundo onde possuímos vassouras voadoras, calderões, onde ser bruxo é bom e onde possuímos um herói: Harry Potter. Bondoso, esperto, diria até fofo. Ao mesmo tempo é fraco, indeciso e deseja a vingança. Harry é o ícone, eu diria de no minimo 3 gerações, hoje em dia crianças de 12 anos a adultos de 20 lêem Harry Potter. Isso não é admirável?

    Quem não chorou com o final do Enigma do Príncipe? Quem não se arrepiou só de ler a risada de Voldermort? Quem não ficou na dúvida do caráter de Sirius Black? Todos já tivemos nossas sensações. Já choramos e rimos, criticamos e elogiamos J. K. Rowling.

    Quanto aos filmes, seis já se passaram e o sétimo vêm aí, dividido em 2 para a alegria de uns e tristezas de outros. Por um lado, é bom. Não desejamos o oitavo Harry Potter? Por outro lado, é só um jeito do cinema faturar mais, mas isso não vêm ao caso. O que importa é que a partir de 19 de novembro de 2010, Harry Potter e as Relíquias da morte estará em cartaz, e eu não perco por nada.



    domingo, 26 de setembro de 2010

    O Último Olimpiano


    Com uma capa extremamente convidativa, e com a expectativa do ultimo livro, "O último Olimpiano" veio com tudo para finalizar a série "Percy Jackson e os Olimpianos". Neste quinto e último livro, Percy descobre a verdade sobre a profecia e com ajuda de seus colegas de acampamento e de alguns Deuses, ele tenta salvar o Olimpo do grande titã Cronos.

    Eu verdadeiramente fiquei surpresa com o final do livro. Não foi o que eu imaginava, mas fiquei satisfeita. Rick Riordan conseguiu escrever uma série sem enrolações, com uma narrativa bem desenvolvida e envolvente. Percy, Annabeth, Grover, Tyson, Thalia, Rachel, Nico, Sr. D, Zeus e muitos outros são personagens empolgantes, cada um com suas caracteristicas e diferenças. Cada pessoa se identifica com um pelo menos, pois Deuses é o que não falta.


    Finalizando, Percy Jackson é para mim a melhor série de livros depois de Harry Potter. Para quem gosta de mitologia, é um prato cheio. Mas Rick Riordan , esperto como é, lançou uma nova série, agora com a mitologia egpicia: "As crônicas de Kane". O primeiro livro, "A Pirâmide Vermelha" tem previsão de ser lançada em outubro. Mais informações :


    http://www.sobrelivros.com.br/info-as-cronicas-dos-kane-rick-riordan/

    quarta-feira, 22 de setembro de 2010

    O Nome do Vento: A Crônica do Matador Rei



    Não é todo dia que se acha um livro tão intenso e fácil de ler com "O Nome do Vento". Kote ou Kvothe (como você achar melhor) conta sua história de forma envolvente, onde a cada capítulo você se vê mais concentrado e ansioso.

    Kote conta sua historia em 3 dias, sendo cada dia um dos livros. Em "o Nome do Vento", fala-se do inicio de sua história de vida. Sua infância perturbada, a busca pelo chandriano, a entrada na universidade, os seus amores secretos, suas dúvidas, seus pecados, sua música . Ele vai evoluindo, amadurecendo e se tornando cada vez mais interessante

    Tenho apenas uma crítica a fazer. Patrick Rothfuss se mostrou um excelente escritor, mas pecou um pouco no final. Nenhuma surpresa. Nos deixou apenas na expectativa do segundo livro,mas que pelo jeito guarda muitas surpresas.

    Obs. O segundo livro será lançado em março de 2011 nos EUA, e junho de 2011 no Brasil.

    terça-feira, 7 de setembro de 2010

    Livros desejados

    os
    Muitos livros lançados atualmente, não? E alguns deles são intensamente desejados por mim, além de outros que já são cobiçados por meu olhar a algum tempo. Assim resolvi fazer uma lista das minhas aspirações literárias:
    1- Fallen






    Sinopse: Algo parece estranhamente familiar em relação a Daniel Grigori. Solitário e enigmático, ele chama a atenção de Luce logo no seu primeiro dia de aula no reformatório. A mudança de escola foi difícil para a jovem, mas encontrar Daniel parece aliviar o peso das sombras que atormentam seu passado: um incêndio misterioso – que provocou a morte de seu namorado – levou Luce até ali. Irremediavelmente atraída por Daniel, ela quer descobrir qual é o segredo que ele precisa tanto esconder— uma verdade que poderia matá-la. Algo que, em suas vidas passadas, Daniel não conseguiu evitar.


    • Ano de Lançamento: 2010
    • Numero de Páginas: 406 páginas
    • Editora: Galera Record
    • Autor:Lauren Kate


    2-Avalon Hight


    Sinopse: Avalon High pode não ser exatamente o lugar onde Ellie gostaria de estudar, mas até que não e tão ruim assim. Uma escola americana normal, freqüentada pelos mesmos tipos de sempre: Lance, o esportista; Jennifer, a animadora de torcida; e Will, o presidente da turma, jogador talentoso, bom momo... e muito charmoso! Mas nem todos na Avalon High são o que pensam ser... nem mesmo Ellie, como ela logo vai descobrir. Depois de um esbarrão durante uma corrida no parque, os destinos de Ellie e Will parecem estar irremediavelmente entrelaçados. Ela começa a notar uma série de estranhas coincidências entre o seu cotidiano e a lenda do rei Arthur -nomes similares, triângulos amorosos, sociedades secretas -, mas qual seria seu verdadeiro papel nessa história? Como em Camelot, estariam seus novos amigos fadados a um trágico destino? E, pior, o que ela pode fazer para impedir que uma profecia milenar se cumpra mais uma vez?


    • Autor: MEG CABOT
    • Ano: 2007
    • Número de páginas: 350
    • Editora:Record


    3- Sangue de tinta


    Sinopse:Continuação de Coração de tinta, adaptado para o cinema em 2008, este é o segundo volume da trilogia Mundo de Tinta. Aqui, Meggie está dentro do mundo fantástico de seu livro favorito. Sangue de tinta dá seguimento à aventura de Meggie e seu pai, Mo, um encadernador de livros que tem o estranho dom de dar vida às palavras dos livros que lê em voz alta, fazendo seres das histórias surgirem à sua frente como que por mágica. No primeiro volume da trilogia Mundo de Tinta, a língua encantada de Mo traz à vida alguns personagens de um livro chamado Coração de tinta, e acaba mandando para dentro da trama a mãe da menina. Agora, neste segundo episódio, Meggie dá um jeito de entrar ela mesma no mundo fictício de Coração de tinta, onde tem o prazer de encontrar fadas, príncipes e saltimbancos que dançam com o fogo; e o sofrimento de acompanhar as artimanhas de vilões cruéis e sem misericórdia. Uma jornada sombria, repleta de fantasia e aventura.

    • Autor:Cornelia Funke
    • Ano:2009
    • Numero de paginas: 560
    • Editora: Cia das Letras

    4-Morte de tinta



    Sinopse:2 semanas após o final de Sangue de tinta.( a sinopse revela fatos do 2 livro)

    • Autor:Cenelia Funke
    • Ano de Lançamento: 2010
    • Número de Páginas: 576 páginas
    • Editora: Cia das LetrasAuor
    5- Melancia

    Sinopse: Foi demais da conta para Claire o dia do nascimento da sua filha. Ao acordar no quarto do hospital depara com o marido olhando-a na cama. Deduzindo tratar-se de algum tipo de sinal de respeito, ela nem suspeita de que ele soltará a noticia da sua iminente separação: "Ouça, Claire, lamento muito, mas encontrei outra pessoa e vou ficar com ela. Desculpe quanto ao bebê e todo o resto, deixar você desse jeito..." Em seguida, dá meia-volta e deixa rapidamente o quarto. Defato, ele sai quase correndo. Com 29 anos, uma filha recém-nascida nos braços e um marido que acabou de confessar um caso de mais de seis meses com a vizinha também casada, Claire se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e os efeitos colaterais da gravidez, como, digamos, um canal de nascimento dez vezes maior que seu tamanho normal! Não tendo nada melhor em vista, Claire volta a morar com sua excêntrica família: duas irmãs, uma delas obcecada pelo oculto, e a outra, uma demolidora de corações; uma mãe viciada em telenovelas e com fobia de cozinha; e um pai à beira de um ataque de nervos. Depois de muitos dias em depressão, bebedeira e choro, Claire decide avaliar os prós e contras de um casamento de três anos. E começa a se sentir melhor. Aliás, bem melhor. É justamente nesse momento que James, seu ex-marido, reaparece, e tenta convence-la a assumir a culpa por te-lo jogado nos braços de outra mulher.. Claire irá recebê-lo, mas lhe reservará uma bela surpresa...

    • Editora: Bertrand Brasil
    • Autor: MARIAN KEYES
    • Ano: 2003
    • Número de páginas: 490

    6- A Mediadora- A hora mais sombria






    Sinopse: Em A Hora Mais Sombria, quarto livro da série A Mediadora, Suzannah sofre com sua paixão por Jesse - o fantasma "muito gato e com abdômen de tanquinho", que "vive" assombrando seu quarto. Desta vez, Suzannah aproveita as férias de verão para incrementar seu guarda-roupa com o dinheiro ganho com um trabalho árduo e muitíssimo trabalhoso. Enquanto passa seus dias como babá, sonhando com aquele novo par de Manolo Blanik ou aquele vestidinho Prada, ainda arruma tempo para orientar um menino de cinco anos que se revela um mediador. Para completar, precisa fugir das cantadas do irmão mais velho do moleque, que guarda um estranho segredo. Mas esse é o menor de seus problemas: acordar no meio da noite com uma faca na garganta, empunhada pela ex-noiva (morta!) de seu namoradinho fantasma, não pode ser um bom sinal. Ainda mais quando a fantasma exige que a construção de uma piscina nos fundos da casa de Suzannah seja interrompida imediatamente. Nossa mediadora preferida começa a pensar o que a fantasma tem tanto medo que encontrem. A possibilidade de ser o corpo de Jesse não está completamente descartada. E se for isto mesmo? E se, ao solucionarem seu assassinato, o rapaz conseguir, enfim, passar para o outro lado? Como ela vai agüentar de saudades?

    • Editora: Record
    • Autor: MEG CABOT
    • Ano:2005
    • Numero de paginas:272

    7- A mediadora- Assombrado





    Sinopse: Suzannah quer começar o ano letivo sem nenhuma encrenca. Mas isso pode ser bem complicado. Paul Slater, o gato que ela conheceu nas férias, no Pebble Beach Hotel and Golf Resorts, seria uma coisa boa em sua vida. Se ele não tivesse tentado mata-la. Ela vive com a duvida de se Jesse realmente a ama, pois ele a ignora, ou parece ignorar, depois do beijo entre os dois a algumas semanas atrás.
    • Editora: Record
    • Autor: MEG CABOT
    • Ano:2006
    • Numero de paginas:239

    8- A Mediadora

    Sinopse: Quando ela e Paul Slater - mediador de força inegável e intenções dúbias - descobrem que seus poderes vão muito além de ajudar fantasmas a resolver seus problemas, Suze pira de vez. É muito aterrorizante ter o destino dos fantasmas em mãos, podendo alterar o curso da história, principalmente porque Paul também sabe como fazer isso. E ele adoraria evitar o assassinato de Jesse, impedindo-o de virar fantasma e lhe garantindo uma vida tranqüila, finalmente... mas no século XIX. Isso significaria que Jesse e Suzannah jamais se conheceriam. Suze então está diante da decisão mais importante da sua vida: deixar o único cara que já amou voltar para seu próprio tempo, impedindo assim sua morte... ou ser egoísta e mantê-lo a seu lado como um fantasma. O que Jesse escolheria: viver com Suzannah ou morrer sem poder conhecê-la?

    • Editora: Record
    • Autor: MEG CABOT
    • Ano:2007
    • Numero de paginas:272







    sábado, 4 de setembro de 2010

    A Hospedeira

    A Hospedeira, de Stephenie Meyer, traz uma história envolvente e frenética, cheia de altos e baixos e várias lições. Melanie teve seu corpo invadido por um "alma", como muitos outros aqui na terra. Porém ela se recusa a sumir e continua a tentar controlar seu corpo e voltar para seus dois amores: Jared e Jamie. Peregrina, a invasora, então é obrigada a sair em busca deles, mas será que é por causa de Mel ou dela mesma?

    A primeira vez que vi a sinopse do livro, não dei nada por ele. "Muito confuso e é uma viagem total."- pensei. Porém a curiosidade superou o julgamento errado, e o livro atendeu as minha expectativas.

    Terror? Suspense? Aventura? Romance? Ficção científica? Não sei como definir este livro. Ele é completo, com todas as emoções que alguém pode sentir e, além disso, traz vários questionamentos quanto a mentalidade humana e o valor que damos a nós mesmos.

    domingo, 29 de agosto de 2010

    O Diário de Anne Frank


    Anne
    Frank nasceu na Alemanha e com 4 anos se mudou para a Holanda por causa da caça aos judeus. Aos 13, quando a perseguição chegou ao país, Anne e sua família, a família Van Daan e mais tarde, Albert Dussel se esconderam num anexo ao escritório de seu pai e só sobreviveram por um tempo por causa de ajuda de amigos.

    O diário de Anne traz todos os momentos, sensações e conflitos
    que ela passou durante os quase dois anos que esteve escondida. Totalmente criativa, ela também escreveu poemas, contos e sonhos que podem ser lidos no livro"Contos de Esconderijo". Ela era muito otimista com a questão do fim da guerra e sua libertação e mesmo comendo batatas podres ela se mostra alegre. Claro que suas angústias aparecem no diário, junto com a maturidade que adquire durante o tempo.


    "O Diário de Anne Frank" é um documento histórico do sofrimento dos judeus durante a Segunda Guerra Mundial. São relatos de uma adolescente e deveria ser lido por todos aqueles que acham que a guerra leva a algum lugar, para terem consciência de toda tristeza que ela proporciona.


    Trechos do diário:
    • "...Somente devem ser faladas línguas de pessoas civilizadas, portanto, nada de alemão...."
    • "...Sinto-me má ao dormir numa cama quente, enquanto em algum lugar meus amigos estão caindo de exaustão ou sendo derrubados..."
    • "...Por que se gastam milhões com a guerra a cada dia, enquanto não existe nenhum centavo para a guerra médica, para os artistas e para os pobres?Por que as pessoas têm que passar fome enquanto montanhas comida apodrecem em outras partes do mundo?Ah por que as pessoas são tão malucas?"

    sábado, 28 de agosto de 2010

    Há quem diga

    Há quem diga que todas as noites são de sonhos...
    Mas há também quem diga nem todas...
    Só as de verão...
    Mas no fundo isso não tem muita importância...
    O que interessa mesmo não são as noites em si...
    São os sonhos...
    Sonhos que o homem sonha sempre...
    Em todos os lugares, em todas as épocas do ano...
    Dormindo ou acordado...


    Willian Shakespeare

    domingo, 22 de agosto de 2010

    A Maldição de Alaizabel Cray

    Escrita por Chris Wooding, A Maldição de Alaizabel Cray é um prato cheio para os leitores de fantasia e mistério. É um livro fabuloso, que trata do sobrenatural de uma Londres tão obscura quanto os necromantes que ali vivem. Alaizabel Cray, é apenas uma garota que com ajuda de Thaniel, tentará se livrar do que a assombra e salvar Londres.
    O livro te prende, sem ser gigantesco. Tem um final muito satisfatórioe possui uma otima descrição de pessoas e lugares. Para mim, é perfeito.




    Sinopse:
    Na Londres vitoriana, criaturas sinistras assombram o labirinto de becos e vielas do Distrito Velho, e os que ousam sair à noite tornam-se presas fáceis. Presas para os lobos e assassinos que infestam o lugar, bem como para criaturas ainda mais perigosas: os necromantes, praticantes de magia negra. No entanto, o mal que não se vê é o pior de todos; nas camadas mais altas da sociedade londrina, sob a fachada de riqueza e intenções filantrópicas, vigora um tenebroso pacto com os necromantes, que coloca em risco a existência de toda a humanidade. E, no centro de tudo, a encantadora, vulnerável e enigmática Alaizabel Cray - a chave de todo o mistério.


    Entrevista com o autor:
    http://mestredasresenhas.wordpress.com/2010/07/26/entrevista-com-chris-wooding/

    sábado, 21 de agosto de 2010

    Escritos nas estrelas


    Mais uma vez Sidney Sheldon traz neste romance uma heroina altamente linda, atraente e esperta. Lara é o que quase toda mulher deseja ser ultimamente: famosa, bem sucedida, rica, além de ter todos os homens aos seus pés.

    Lara Cameron é uma empresária de sucesso no ramo da construção civil. Construi um império gigantesco quase sozinha. Para uns ela é uma "Borboleta de ferro", para outros ela é a pessoa mais amável do mundo, mas todos concordam que ela é uma grande mulher. Sua vida está perfeita, pois ate o verdadeiro amor ela encontrou. Porém alguém quer destrui-lá e usara os meios mais sórdidos para conseguir o que quer, ferindo o que ela mais ama.

    Com um final digamos, interessante, este livro é a cara do autor. Cheio de altos e baixos, intrigas e romance. Escrito nas Estrelas é um livro para ser apreciado por todos.

    sábado, 7 de agosto de 2010

    Os 12 mandamentos

    Sidney Sheldon traz neste livro os 12 mandamentos.... Mas você se pergunta: Não são Dez? Não, segundo Sheldon faltam 2, pois Móises deixou cair a tábua dos mandamentos e ela quebrou, se perdendo a outra parte.

    O livro, escrito para o público jovem, satiriza essas leis mostrando personagens que se
    deram bem ao desrespeitar os mandamentos. Um homem mata a sogra, o outro trai o chefe, um rouba, etc. Todos fazem algo ruim, mas acabam se dando bem, ficando rico e famosos.

    Não é um dos melhores livros de Sidney Sheldon, talvez porque a linguagem é diferente ou são vários contos, não tendo uma sequência definida. Porém ele é engraçado e pode divertir muito.

    domingo, 1 de agosto de 2010

    O vestido


    Escrito por Carlos Herculano Lopes Carlos e baseada no poema "Caso do vestido" de Carlos Drummond de Andrade, O Vestido é um livro para ser lido de uma só vez. A obra possui versos do poema, possuindo uma delicadeza e uma paixão comparáveis aos versos de Drummond. A narradora é Angela, a mulher que cede seu marido a outra, por ama-lo incondicionalmente.

    Sem mas nada a escrever, deixo o poema abaixo para a vontade de ler o livro ficar maior.




    CASO DO VESTIDO
    Carlos Drummond de Andrade


    Nossa mãe, o que é aquele
    vestido, naquele prego?

    Minhas filhas, é o vestido
    de uma dona que passou.

    Passou quando, nossa mãe?
    Era nossa conhecida?

    Minhas filhas, boca presa.
    Vosso pai evém chegando.

    Nossa mãe, dizei depressa
    que vestido é esse vestido.

    Minhas filhas, mas o corpo
    ficou frio e não o veste.

    O vestido, nesse prego,
    está morto, sossegado.

    Nossa mãe, esse vestido
    tanta renda, esse segredo!

    Minhas filhas, escutai
    palavras de minha boca.

    Era uma dona de longe,
    vosso pai enamorou-se.

    E ficou tão transtornado,
    se perdeu tanto de nós,

    se afastou de toda vida,
    se fechou, se devorou,

    chorou no prato de carne,
    bebeu, brigou, me bateu,

    me deixou com vosso berço,
    foi para a dona de longe,

    mas a dona não ligou.
    Em vão o pai implorou.

    Dava apólice, fazenda,
    dava carro, dava ouro,

    beberia seu sobejo,
    lamberia seu sapato.

    Mas a dona nem ligou.
    Então vosso pai, irado,

    me pediu que lhe pedisse,
    a essa dona tão perversa,

    que tivesse paciência
    e fosse dormir com ele...

    Nossa mãe, por que chorais?
    Nosso lenço vos cedemos.

    Minhas filhas, vosso pai
    chega ao pátio. Disfarcemos.

    Nossa mãe, não escutamos
    pisar de pé no degrau.

    Minhas filhas, procurei
    aquela mulher do demo.

    E lhe roguei que aplacasse
    de meu marido a vontade.

    Eu não amo teu marido,
    me falou ela se rindo.

    Mas posso ficar com ele
    se a senhora fizer gosto,

    só pra lhe satisfazer,
    não por mim, não quero homem.

    Olhei para vosso pai,
    os olhos dele pediam.

    Olhei para a dona ruim,
    os olhos dela gozavam.

    O seu vestido de renda,
    de colo mui devassado,

    mais mostrava que escondia
    as partes da pecadora.

    Eu fiz meu pelo-sinal,
    me curvei... disse que sim.

    Sai pensando na morte,
    mas a morte não chegava.

    Andei pelas cinco ruas,
    passei ponte, passei rio,

    visitei vossos parentes,
    não comia, não falava,

    tive uma febre terçã,
    mas a morte não chegava.

    Fiquei fora de perigo,
    fiquei de cabeça branca,

    perdi meus dentes, meus olhos,
    costurei, lavei, fiz doce,

    minhas mãos se escalavraram,
    meus anéis se dispersaram,

    minha corrente de ouro
    pagou conta de farmácia.

    Vosso pais sumiu no mundo.
    O mundo é grande e pequeno.

    Um dia a dona soberba
    me aparece já sem nada,

    pobre, desfeita, mofina,
    com sua trouxa na mão.

    Dona, me disse baixinho,
    não te dou vosso marido,

    que não sei onde ele anda.
    Mas te dou este vestido,

    última peça de luxo
    que guardei como lembrança

    daquele dia de cobra,
    da maior humilhação.

    Eu não tinha amor por ele,
    ao depois amor pegou.

    Mas então ele enjoado
    confessou que só gostava

    de mim como eu era dantes.
    Me joguei a suas plantas,

    fiz toda sorte de dengo,
    no chão rocei minha cara,

    me puxei pelos cabelos,
    me lancei na correnteza,

    me cortei de canivete,
    me atirei no sumidouro,

    bebi fel e gasolina,
    rezei duzentas novenas,

    dona, de nada valeu:
    vosso marido sumiu.

    Aqui trago minha roupa
    que recorda meu malfeito

    de ofender dona casada
    pisando no seu orgulho.

    Recebei esse vestido
    e me dai vosso perdão.

    Olhei para a cara dela,
    quede os olhos cintilantes?

    quede graça de sorriso,
    quede colo de camélia?

    quede aquela cinturinha
    delgada como jeitosa?

    quede pezinhos calçados
    com sandálias de cetim?

    Olhei muito para ela,
    boca não disse palavra.

    Peguei o vestido, pus
    nesse prego da parede.

    Ela se foi de mansinho
    e já na ponta da estrada

    vosso pai aparecia.
    Olhou pra mim em silêncio,

    mal reparou no vestido
    e disse apenas: — Mulher,

    põe mais um prato na mesa.
    Eu fiz, ele se assentou,

    comeu, limpou o suor,
    era sempre o mesmo homem,

    comia meio de lado
    e nem estava mais velho.

    O barulho da comida
    na boca, me acalentava,

    me dava uma grande paz,
    um sentimento esquisito

    de que tudo foi um sonho,
    vestido não há... nem nada.

    Minhas filhas, eis que ouço
    vosso pai subindo a escada.


    Fonte:http://www.releituras.com/drummond_vestido.asp

    LinkWithin

    Related Posts with Thumbnails